Criativo e envolvente, “Tempo” acaba pecando pelo excesso

Se é pra ser controverso, desafiador e provocativo, vamos chamar M. Night Shyamalan. O diretor, que muitas vezes acerta e agrada, como em “O Sexto Sentido”, “Sinais” e “Fragmentado”, pode usar e abusar das suas experimentações e, às vezes, não satisfazer tanto, como em “O Último Mestre do Ar” e “Fim dos Tempos”. Seu último…